Informações sobre o visto para Malta

 
   
 
 
 
     
 

Saiba mais: Schengen

Em breve, mais informações!
Documentos necessários para o processo
Instruções importantes

A República de Malta é na verdade um pequeno arquipélago europeu, localizado no mar Mediterrâneo, a menos de 100 km de distância de Sicília, na Itália.

Ex-colônia britânica, Malta tornou-se independente em 1964, passando a fazer parte das Nações Unidas no final desse mesmo ano. Em 2004, ingressou na União Europeia e sua adesão ao Acordo de Schengen ocorreu em 2007. Assim, o país adotou a política de abertura de fronteiras e livre circulação de pessoas em seu território, permitindo também que o cidadão brasileiro não precise de um visto de turista para visitar e permanecer em Malta, por até 90 dias.

Contudo, outros requerimentos são necessários para que você possa desbravar as belas praias de águas cristalinas, incríveis formações rochosas, cavernas e arquitetura consagrada pela UNESCO como Património da Humanidade. Veja os detalhes, a seguir.

O que eu preciso saber para visitar a República de Malta?

1) Passaporte

O cidadão brasileiro não precisa de um visto para Malta, para viagens a lazer ou a negócios, por um período de até 90 dias. Entretanto, você deve viajar na posse do seu passaporte original, e com validade mínima de 6 meses a contar da data de saída do espaço Schengen. É necessária apenas 1 página em branco para o devido carimbo de entrada no país.

2) Passagens aéreas

A partir do ingresso no espaço Schengen, o cidadão brasileiro deve apresentar o bilhete aéreo de regresso ao Brasil (ou para outro destino não signatário do Acordo). A data do voo não poderá estar “em aberto”, nem tampouco exceder 90 dias, contados da sua chegada.

3) Hospedagem

O cidadão brasileiro precisa atestar que possui acomodação comprovada na República de Malta, seja através de um voucher de reserva de hotel ou via carta-convite, devidamente assinada por um cidadão maltês ou residente legal no país, informando a disponibilidade de hospedagem e o período. A carta deve estar acompanhada do documento de identificação de quem fornecer a acomodação.

4) Recursos financeiros

O turista brasileiro deve demonstrar às autoridades de imigração evidências de que dispõe de recursos financeiros suficientes para arcar com todas as despesas necessárias, durante a sua estadia nas Ilhas Maltesas. Como exemplos, você pode apresentar cartões de crédito internacionais, dinheiro em espécie e até documentos que comprovem alguma fonte de rendimento no país.

5) Vacinas

O governo de Malta não exige vacinação prévia contra nenhum tipo de doença específica para os cidadãos brasileiros.

6) Seguro de saúde

Diferentemente dos demais membros do Espaço Schengen, a República de Malta não exige a contratação de uma apólice de seguro de viagem internacional. Todavia, sendo o país um destino perfeito para os amantes de trilhos, montanhismo, desportos aquáticos e aéreos, é extremamente aconselhado que você viaje protegido contra acidentes, além de possibilitar o acesso a atendimento médico e/ou internações hospitalares, bem como a repatriação sanitária.

7) Representação diplomática

O Brasil não possui representação diplomática na República de Malta. Caso o cidadão brasileiro precise de qualquer tipo de assistência, deverá ter em mãos os dados do Consulado-Geral do Brasil em Roma, na Itália.

Depoimentos
Nossos clientes tem ótimas histórias sobre nós

Perguntas Frequentes

A República de Malta é um dos menores países da Europa. Com um território terrestre de cerca de apenas 316 km², conta com uma população de cerca de 450 mil habitantes. Malta é uma ilha localizada em uma posição bastante estratégica, próxima da Sicília, Itália. Historicamente, Malta já foi território dos Gregos, Romanos e até dos Árabes. O que vemos hoje é uma forte herança da presença romana e inglesa, que já foram grupos dominantes do território. O turismo em Malta é ativo por dois motivos: a ilha está localizada bem próxima de Itália, que é um dos pontos turísticos preferidos dos turistas. E trata-se de uma ilha paradisíaca, com paisagens de tirar o fôlego e um clima perfeito para quem gosta de praia. Um exemplo da herança romana é a forte presença da Igreja Católica. A população do país é em sua maioria conservadora, sendo mais um dos vários países que proibiram e barraram a legalização do aborto. O cristianismo faz parte da história do país. De acordo com a literatura cristã, São Paulo chegou à costa maltesa e logo começou um processo de conversão dos habitantes. Malta conta com dois idiomas oficiais, o maltês e o inglês. Ainda assim, boa parte da população domina o italiano, que não é idioma oficial. A economia do país depende de importações, manufatura de alguns produtos e do turismo. Os recursos naturais do país são limitados, sendo que apenas 20% das reservas alimentares consumidas são produzidas em seu território. Não há qualquer fonte de energia doméstica. Ainda assim, a economia de Malta é estável, o que é compreensível, considerando a pequena extensão do seu território e o pequeno número da sua população.

Um reflexo positivo da sua situação económica é o facto de que Malta depende do turismo para manter a sua economia estável. Portanto, o governo incentiva o turismo e a população recebe de braços abertos pessoas de outros países. Então, o que fazer em Malta? Considerando a extensão de seu território, não é loucura pensar em conferir todos os pontos turísticos que o país tem para oferecer, o que é uma tarefa quase que impossível em países como a Itália. Para começar, a capital do país, Valeta, foi incluída na lista de Patrimónios Mundiais da UNESCO. A cidade conta com cerca de 300 monumentos e inúmeros museus que contam a história do país. Entre as principais atividades no país estão os desportos náuticos, especialmente o mergulho. A praia é excelente e milhares de pessoas mergulham diariamente na região. Por se tratar de uma ilha paradisíaca, as melhores épocas do ano para se visitar são na primavera e no verão, respetivamente de março a junho e junho a agosto. É nesse período que o clima é mais ensolarado e as pessoas estão mais inclinadas para aproveitar as belas praias do país. É de conhecimento popular que Malta tem menos de 100 dias de chuvas, mas mesmo o clima nublado não atrapalha uma visita, já que o país também conta com museus, teatros e parques. Por estar localizada no meio do mar Mediterrâneo, o clima de Malta pode ser dividido entre verões longos e ensolarados e invernos curtos e húmidos. A atividade preferida dos turistas é visitar as praias tanto de areia quanto de pedra, também é comum visitar as ilhas menores que fazem parte do território do país. A maioria das praias está acessível via autocarro ou carro, mas também é possível optar por transportes de barco e balsa, que são serviços abertos ao público. A parte interessante é que a capital do país, Valeta, é minúscula, mas repleta de atrações turísticas, você pode literalmente usufruir de boa parte do que a cidade tem para oferecer a pé. Mesmo sendo pequena, o aluguer de veículos é uma prática comum na região. É possível alugar carros, motos e até triciclos por preços bastante atrativos. O sistema de transportes públicos também é eficiente e conecta os moradores aos quatro cantos de Malta. O custo do transporte é variado, mas geralmente é considerado acessível. O preço médio da alimentação varia de acordo com a região. Há inúmeros hotéis de luxo no país e nas proximidades desses locais é comum encontrar restaurantes com preços elevados, já que o público da microrregião está acostumado a pagar caro por esse tipo de serviço. No que diz respeito aos pontos turísticos que realmente interessam, é costume dizer que é possível conhecer Malta em apenas alguns dias. Três dias seria o suficiente para conhecer o país, sendo que uma semana é perfeita para aproveitar o que Malta tem para oferecer. O país é bastante pequeno e tem uma concentração alta de pessoas. Algumas pessoas referem-se ao país como se fosse um ovo. Se você tivesse apenas um dia para aproveitar o que Malta tem para oferecer, o recomendado é passar essas 24 horas na capital, onde você pode conhecer várias atrações turísticas caminhando pela cidade. Para aqueles que estão preocupados com a hospedagem em Malta, devemos acrescentar que existem alguns hostels no país que minimizam o custo da estadia. O facto é que Malta é uma ilha pequena, os hotéis próximos da praia têm preços elevados, e temos de considerar também que é difícil encontrar hotéis afastados da praia devido ao pequeno território do país. Portanto, no que diz respeito a hospedagem, certamente será a maior despesa na sua viagem. Em compensação, serviços como o transporte público são bastante acessíveis e eficientes. Até as pequenas viagens de barco são baratas, já que são feitas em grandes grupos. Há também uma vida noturna ativa na região, com direito a discotecas para os mais jovens e para o público acima dos trinta anos. Se você é um turista que gosta dos cenários paradisíacos, Malta é definitivamente um bom lugar para ir. Até mesmo se você estiver visitando a Itália, fazer uma visita rápida a Malta pode ser um excelente programa. O país é pequeno, portanto, a população já abraçou o convívio com os turistas, já que não há muitos lugares para “fugir”. Além disso, o turismo é incentivado pelo Governo.