Informações sobre o visto para a Suécia

Instruções importantes

Oficialmente denominado “Reino da Suécia”, o país está localizado na Península Escandinava, ao norte do continente europeu e é banhado pelo Mar Báltico.

Ainda que fora do roteiro tradicional de viagens à Europa, os países nórdicos têm-se tornado populares, sobretudo pela segurança, qualidade na prestação de serviços e belezas naturais exóticas, particulares da região, como, por exemplo, a aurora boreal. Na Suécia, você pode hospedar-se em hotéis totalmente feitos de gelo, visitar charmosas vilas medievais no interior e encantar-se com a modernidade da capital, Estocolmo.

A Suécia é membro fundador da ONU, faz parte da União Europeia e é signatária do Acordo de Schengen, que permite a livre circulação dos cidadãos dos países envolvidos pelos territórios abrangidos, sem a necessidade de controlos nas fronteiras. O Acordo de Schengen prevê um programa de isenção de vistos para turistas de determinados países, incluindo o Brasil. Portanto, você não precisa de um visto para a Suécia, em viagens a lazer ou a negócios, por períodos não superiores a 90 dias.

Contudo, outros requisitos para a entrada na Suécia devem ser observados. Entenda os detalhes, a seguir.

O que eu preciso para viajar para a Suécia?

1) Passaporte

Você deve viajar para a Suécia munido do seu passaporte original, com validade superior a três meses, após a saída do Espaço Schengen. É preciso uma página em branco para o carimbo e demais registos de entrada no país, pelas autoridades de imigração.

2) Bilhetes aéreos

Você precisa de comprovar a saída do Espaço Schengen, apresentado as passagens aéreas de chegada à Suécia e de regresso ao Brasil (ou para outro destino não signatário do Acordo), com as respetivas datas de ida e volta.

3) Recursos financeiros

Você deve confirmar que possui recursos financeiros suficientes para arcar com as despesas decorrentes da sua estadia na Suécia, através da apresentação de dinheiro em espécie ou cartões de crédito internacionais. É utilizada uma média de 450 coroas suecas (aproximadamente 50 euros) por pessoa, por dia.

Vacinas

Não há obrigatoriedade de imunização contra nenhuma doença específica para visitar o Reino da Suécia.

Seguro de saúde

Não é exigida a contratação de uma apólice de seguro de viagem para visitar a Suécia. Entretanto, apesar da excelente infraestrutura de saúde do país, o atendimento gratuito é destinado apenas aos residentes e possui custo elevado para os visitantes. Assim, é altamente recomendado que você viaje com uma cobertura para custear eventuais despesas com consultas, internações, medicamentos e até a repatriação sanitária.

Além disso, o frio rigoroso e a pouca incidência de luz solar no período de inverno podem causar um desequilíbrio bioquímico conhecido como “Seasonal Affective Disorder” (Transtorno Afetivo Sazonal), provocando tristeza, apatia e alterações no sono. Em casos mais complexos, a ajuda profissional pode ser necessária.

Assistência consular

O Brasil dispõe de ampla representação diplomática na Suécia. Assim, em caso de qualquer necessidade de assistência consular, você deve dirigir-se ou entrar em contacto com um dos seguintes escritórios:

  • Embaixada do Brasil em Estocolmo;
  • Consulado Honorário do Brasil em Gotemburgo;
  • Consulado Honorário do Brasil em Malmo.

Perguntas Frequentes

A Suécia é o maior e o mais industrializado dos países nórdicos, porém é escassamente povoado. A sua extensão territorial é quase totalmente ocupada por florestas e lagos. O extremo norte do país está dentro do Círculo Polar Ártico e tem temperaturas extremas. Os suecos têm uma relação muito forte com a água: o país é todo cortado por rios e canais, e seu litoral está cheio de ilhas e penínsulas. Graças a correntes marinhas de águas mais quentes, a costa da Suécia tem temperaturas um pouco mais amenas.

Localizada na Península Escandinava, no norte da Europa, entre a Noruega e a Finlândia, a Suécia divide com esses países a história dos Vikings. É um país de paisagens incríveis e com muitas histórias, além de ser um bom local para se ver as luzes da aurora boreal ou o sol da meia-noite. Por esses motivos, a Suécia não deve ficar de fora de nenhuma viagem pela Europa que se preze.

Qual o idioma oficial na Suécia?

O idioma oficial é o sueco, no entanto é comum encontrar pessoas falando outras línguas minoritárias, como o finlandês. O inglês e o alemão são praticados também por uma boa parte da população sueca.

Moeda oficial e o dinheiro

A moeda oficial é a Coroa sueca. Para trocar dinheiro, é aconselhado usar casas de câmbio. As que estão localizadas no aeroporto costumam ter uma cotação mais baixa, mas para começar a viagem pode ser uma boa opção.

As ATM, ou caixas eletrónicos, são uma forma muito cómoda e confiável de trocar a moeda local. É muito comum fazer pagamentos com cartões de crédito e de débito - pelo que, se não tiver moeda nem disponibilidade para ir a uma caixa automática, pode tentar pagar diretamente com o cartão. É recomendável conferir se há lugar a pagamentos de taxas. Considere a utilização do cartão Revolut. Cartões de crédito: os cartões das principais redes, como Visa, MasterCard, American Express e Diners Club, são amplamente aceites na Suécia. É comum pedirem um documento com fotografia para comprovar a identificação.

Visto

Não é necessário solicitar visto para entrar na Suécia. O turista comum pode ficar no país por, no máximo, 90 dias.

Qual a melhor época para visitar a Suécia?

A Suécia é um dos países mais frios do mundo, por isso, a melhor época para visitá-lo é entre os meses de maio e setembro, temporada de verão na Europa e quando as temperaturas ficam mais amenas. Mesmo durante esses meses, não deixe de levar um bom casaco para o frio. Durante o verão, especialmente durante o mês de junho, a capital, Estocolmo, chega a ter 18 horas de luz por conta do solstício de verão. Mesmo sendo temporada de turismo, alguns hotéis e restaurantes fecham as suas portas, já que os suecos não abrem mão das próprias férias. Outra boa época para visitar é antes do Natal. Para quem gosta, os mercadinhos de Natal tomam conta do país. Essa também é uma boa época para quem procura ver as luzes coloridas da aurora boreal.

Como se locomover na Suécia?

A Suécia é um país extremamente próspero e muito desenvolvido. Claro, o transporte público funciona muito bem em todo o país. Existem várias opções para ir de um ponto ao outro da Suécia. A forma talvez mais comum para os turistas é apanhar um avião e ir de uma cidade para outra, mas essa talvez não seja a opção que apresenta a melhor relação entre custo e benefício. A rede ferroviária sueca é ampla e cobre boa parte dos principais pontos de interesse dos turistas. É possível adquirir os bilhetes ou passes através do site da companhia pela internet com antecedência e programar a viagem. Os passes da Eurail também podem ser usados na Suécia.

Para quem prefere a flexibilidade dos horários e das viagens, alugar um carro é uma boa opção. O país tem autoestradas de alta velocidade, bem conservadas e seguras. As estradas principais ramificam-se em pequenos caminhos que dão acesso a pitorescas cidadezinhas no interior do país. No inverno, a neve é problema nas estradas, e se não estiver acostumado a conduzir na neve, não é aconselhado correr esse risco. Outra forma de se locomover é também uma das experiências mais incríveis do passeio pela Suécia, um cruzeiro em um antigo navio a vapor pelo Gota Canal, que pode durar de 2 a 6 dias. O canal tem vasta extensão e atravessa algumas das mais belas e interessantes regiões do país.

Um cenário natural estonteante

A Suécia oferece ao visitante uma sucessão de paisagens de tirar o fôlego a qualquer pessoa. São inúmeros lagos e montanhas praticamente desertas. O maior lago da Suécia é o Värnern, também um dos maiores da Europa. Já o mais admirado por todos é o lago Mälaren, próximo a Estocolmo, cercado por castelos que ficam abertos a visitação. Além de Estocolmo, capital do país, há diversas outras cidades e regiões da Suécia que merecem fazer parte do roteiro turístico de quem passa pelo país: Gotemburgo, Malmo, Uppsala, Vaxjo, Gotland e a região de Dalarna.

A qualidade de vida na Suécia é elevada, graças a um sistema social avançadíssimo. As cidades suecas, incluindo as maiores, como Estocolmo e Malmo, não são exageradamente grandes, são bem cuidadas, limpas, seguras e bem organizadas, parecem desconhecer o que são problemas sociais. As regiões rurais, mesmo com um clima tão frio, são altamente produtivas e com um padrão de vida tão bom quanto o de uma pessoa que vive na cidade. Desde a época das expedições vikings até hoje, a história sueca é permeada de particularidades, como a persistência de uma religião pagã - a religião nórdica, que contempla os deuses que, como Thor, dão nome a cada um dos dias da semana em várias idiomas - até ao século XI, quando se adotou o cristianismo. A Suécia adotou uma postura neutra nas relações internacionais, mesmo sendo um país extremamente próspero. É um dos poucos países europeus que não esteve envolvido nas duas guerras mundiais que devastaram o continente.