Informações sobre o visto Schengen para a Hungria

Instruções importantes

Quer saber se os brasileiros precisam de visto Schengen para a Hungria? Esse país é um dos mais visitados da Europa, já que possui cidades vibrantes, uma culinária incrível e uma arquitetura que mistura modernidade e antiguidade.

Os brasileiros precisam de visto para conhecer a União Europeia?

Os brasileiros não precisam de visto para conhecer a Hungria, pois o país faz parte da União Europeia, que não exige este documento de visitantes do Brasil que queiram permanecer a turismo por até três meses. Caso você deseje obter mais informações sobre outros tipos de vistos para a Hungria, ou sobre a documentação necessária para entrar no país, entre em contacto com a embaixada da Hungria no Brasil através do site.

Quais são os documentos necessários para entrar na Hungria?

Para ir para a Hungria partindo do Brasil você provavelmente terá que fazer escala e passar pela imigração em outro país europeu, o que significa que os documentos requeridos para a sua entrada podem variar. Normalmente, para entrar na União Europeia, o que se pede é:

  • Passaporte que seja válido por, pelo menos, seis meses a partir da sua data de saída do país;
  • Passagem de ida e volta;
  • Comprovativo de que possui fundos para se sustentar no país durante o período em que estiver por lá;
  • Comprovativo de reserva em um hotel ou carta convite;
  • Seguro de viagem com cobertura mínima de 30 mil euros.

    Como deve ser a carta convite para entrar na União Europeia?

    Caso você pretenda ficar alojado na casa de alguém durante a sua viagem, é essencial que tenha em mãos uma carta convite no momento em que desembarcar do avião, pois assim a pessoa que lhe vai receber ficará responsável pela sua estadia e possivelmente por algumas despesas que você venha a ter. Existem muitos modelos destas cartas convite na Internet, e a pessoa que lhe vai alojar deverá redigi-la em inglês ou na língua do local onde mora. Para que essa carta convite tenha maior legitimidade perante as autoridades, é importante também que a pessoa que se vai responsabilizar por você envie juntamente com a carta um documento que demonstre que ela está no país legalmente.

    Como ficam as regras a partir de 2021?

    A partir de 2021, os visitantes que são isentos de visto atualmente irão precisar de uma autorização para entrar na União Europeia, que deverá ser obtida através da internet, durará três anos e custará cerca de R$ 30. Essa medida visa facilitar o cruzamento de informações entre as fronteiras dos países para que assim a segurança aumente no continente europeu.

    Conheça um dos mais belos países da Europa

    Os brasileiros não precisam de obter um visto Schengen para a Hungria , já que o país faz parte da União Europeia. Caso você queira tirar dúvidas sobre vistos para este país ou sobre a documentação necessária para a entrada, entre em contacto com a iVisa através do seguinte link.

Perguntas Frequentes

A Hungria está localizada na Europa central, fazendo fronteira com a Roménia e outros países. A região em que o país se encontra não é considerada entre as mais ricas da Europa, mas certamente a qualidade de vida no país pode alcançar níveis altíssimos para a população mais rica. A Hungria fazia parte do antigo bloco soviético e teve problemas para se adaptar à economia capitalista. Entretanto, por sempre ter sido um país exportador, não houve tantos problemas na adaptação se compararmos com os que houve com alguns dos seus países vizinhos. A Primeira Guerra Mundial teve um papel importante na formação da Hungria que conhecemos atualmente. Fazendo parte do grupo derrotado, a Hungria perdeu a maior parte do seu território no tratado de paz feito com os países vencedores. O sentimento de revolta e o nacionalismo ferido perduram até hoje. Quando o tratado de paz foi assinado, o país não tinha força militar para recusar. A motivação para uma divisão do território húngaro tão drástica não foi deixada clara, mas certamente envolveu o medo do fortalecimento do país e de uma tentativa de retaliação futura. Na Segunda Guerra Mundial, a Hungria alinhou-se com a Alemanha Nazi e declarou guerra contra a União Soviética. Esse período foi marcado por inúmeras derrotas e eventualmente pela submissão da Hungria à União Soviética.

Com o fim da União Soviética, as primeiras eleições marcaram a retirada dos socialistas do poder, que voltariam alguns anos depois. Até hoje, as eleições são disputadas pela esquerda e centro-direita. Atualmente, o turismo é uma atividade económica importante no país. A Hungria conta com mais de 1000 nascentes termais, algo de que poucos países se podem vangloriar de conseguir igualar ou ultrapassar. Essa característica da natureza é altamente aproveitada por spas e hotéis. Devido ao seu clima, geralmente frio, os turistas não demoram muito tempo na região. A vida noturna é um ponto alto, e as discotecas são consideradas de alto nível. Os turistas normalmente chegam de carro e fazem da Hungria um destino de passagem em um roteiro que envolve vários outros países. O país é pequeno, o transporte aéreo não é uma opção internamente. No geral, o transporte ferroviário é o mais prático, já que é possível chegar aos principais pontos turísticos. Os autocarros também são amplamente utilizados e úteis. Para quem quer aproveitar a vida noturna, é indicada a utilização dos carros de aluguer. Alugar um carro é bastante simples e fácil no país, principalmente em cidades como Bucareste.

A Hungria é considerada um país frio, as temperaturas raramente chegam perto dos 30º durante o ano todo. O inverno é em janeiro, e nesse período as temperaturas chegam a ficar abaixo de zero. Para quem não gosta do frio, o verão é no mês de julho. Uma ótima atividade para ser feita no país é viajar de carro pelas principais cidades. Por se tratar de um país pequeno, alugar um carro e dar uma volta no país é uma atividade comum e muito prazerosa. Para aqueles que têm pressa e não podem conhecer todos os principais pontos turísticos da região, uma estadia rápida em Budapeste é recomendada. A cidade é considerada uma das mais belas do Leste Europeu, repleta de locais interessantes e atividades para fazer.

Os amantes da culinária vão ter a possibilidade de desfrutar de um bom momento na Hungria. A culinária tradicional do país é considerada um dos pontos fortes que aquecem o turismo. Os restaurantes de alto padrão estão espalhados pelo país, além de marcarem presença na maior parte dos hotéis. Encontrar um local para se hospedar não é tão difícil, principalmente nas principais cidades do país. É claro que é sempre recomendável fazer isso com antecedência, principalmente se estiver no período de época alta. O país também já se está a adaptar a uma nova onda de aplicativos de alojamentos. A Hungria é um país de nacionalistas, mas o turismo é bem visto e é uma atividade económica estimulada. O sentimento de orgulho nacional é forte, principalmente por se tratar de um país pequeno, o que é comum nos países do leste europeu. Os meios de transporte públicos são bastante utilizados por turistas, bem como o aluguer de veículos privados. É claro que o transporte público sai muito mais barato do que o aluguer de veículos. Então, a escolha deve ser feita tendo como base o orçamento que você tem disponível.

O país também é conhecido pela realização do Grande Prémio de F1, evento que acontece desde 1986. O evento movimenta a cidade e é uma ótima opção de lazer. Foi na Hungria que alguns dos torneios de F1 mais emocionantes da história aconteceram. O futebol também é um desporto de destaque no país, e Ferenc Puskás foi o maior atleta do país, tendo jogado no Real Madrid, uma das equipas mais importantes do futebol até hoje.

Para quem gosta da natureza, visitar o Lago Ballaton é uma ótima opção. Trata-se de um lago raso com uma profundidade média de 3 metros. Devido a ser um lago raso, visitar o mesmo no inverno não é tão recomendável, já que o lago congela rapidamente nesse período. O lago tem cerca de 77 km de comprimento e conta com vistas privilegiadas. O idioma oficial é o húngaro, mas desde o fim da União Soviética que o inglês começou a ser mais falado no país. Atualmente, é fácil encontrar pessoas que falam o inglês, principalmente em hotéis e discotecas de alto nível. O país conta com inúmeras minorias étnicas, assim como há inúmeros húngaros fazendo minorias nos países vizinhos, que antigamente eram território húngaro.

A Hungria é um país naturalmente lindo com diversos pontos turísticos. O governo húngaro tende a incentivar o turismo devido à sua importância económica. É de se esperar que o turismo continue sendo incentivado nos próximos anos. A entrada e circulação pelo país já são facilitadas e não há indícios de que isso vá mudar. O país faz parte da União Europeia, mas ainda não adotou o Euro como sua moeda oficial, apesar de ser algo previsto para acontecer.